Portal da Cidade Brumadinho

ACORDO ESTADO- VALE

Deputado questiona falta de obras com dinheiro de acordo entre Vale e Estado

Por outro lado, Secretária de Zema disse que há intervenções em rodovias, compra de equipamentos de saúde e mudanças na estrutura governamental

Publicado em 23/01/2023 às 15:30
Atualizado em

(Foto: Henrique Chendes/ALMG)

O deputado estadual Virgílio Guimarães (PT) questionou, nesta sexta-feira (16), o uso do dinheiro do acordo pela Tragédia de Brumadinho, firmado entre o governo de Minas, a Vale e outras autoridades em fevereiro de 2021. Em resposta, a secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Luísa Barreto, afirmou que há intervenções nas áreas da saúde, logística e governamental custeadas pela mineradora, mas reconheceu a necessidade de melhorias na governança do tratado.

“Dois anos do acordo e nada feito. Zero. Pode ter sido um acordo importante, mas, sinceramente, não têm programa algum iniciado. Zero. Não tem nada. O que foi feito, foi feito pelos municípios. Eu fiquei surpreso com o prêmio internacional por um programa que não fez nada em dois anos. Sinceramente, deve ser um programa maravilhoso e tal, mas está faltando, talvez, uma ação mais efetiva. O recurso está lá e o acordo está assinado, mas não bateu um prego num tapume de uma obra?”, questionou Virgílio Guimarães.

Em resposta, Luísa Barreto afirmou que o uso do dinheiro depende de "diferentes entes". Segundo ela, no que depende apenas do governo, foram aplicados R$ 5,9 bilhões "em ações de fortalecimento do serviço público". O acordo total é de R$ 37,7 bilhões de reais pelo rompimento da Barragem 1 da Mina do Córrego do Feijão, em 25 de janeiro de 2019.

“Só de obras rodoviárias, nós já temos 40 trechos com obras em andamento. Então, as coisas estão andando. Nós temos um anexo com as obrigações a fazer da empresa Vale, no qual o governo de Minas, junto com as instituições de Justiça, coordena a seleção de projetos e propostas a serem feitas. Esses foram objetos de uma consulta popular, que citei que o governo de Minas foi premiado duas vezes esse ano, na qual foram apresentadas 3 mil propostas pela população atingida nos 26 municípios. Já foram selecionados 113 projetos. Desses, 30 já têm ordem de início”, disse Luísa Barreto.

A secretária listou, ainda, a entrega de 18 salas de urgência para a área da saúde e de 63 máquinas para a melhoria de estradas rurais. Ainda assim, Luísa reconheceu que a execução do acordo pode melhorar. “Neste anexo, a gente tem alguns atrasos sobre preços da empresa Vale, que têm sido lidados por nós junto com os ministérios públicos (de Minas Gerais e Federal) e com o Tribunal de Justiça para que a gente possa mudar esse modelo, trazendo um modelo mais célere, porque o modelo da Vale não é célere judicialmente”, completou.


Fonte:

Receba as notícias de Brumadinho no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário