Portal da Cidade Brumadinho

INCÓGNITA

Estudante brumadinhense é aprovada em Mestrado na Europa: Pandemia é empecilho

Sarah Aimê está na lista das 21 pessoas selecionadas em todo planeta. Estudos iniciarão em Setembro, na LUCA School of Arts, em Genk, na Bélgica

Postado em 15/07/2021 às 16:12 |

(Foto: Arquivo pessoal)

A jovem Sarah Aimê, de 29 anos, moradora de Brumadinho, foi aprovada para a bolsa de mestrado denominada Re:Anima, parte do Erasmus Mundus, que oferece bolsas de estudo concedidas pela União Europeia, cobrindo taxas de estudo, viagem e custos de vida. Ela é filha de Andrea e Markin (Pinta), bastante conhecidos no município.

Há mestrados e bolsas Erasmus Mundos nas mais diversas áreas de pesquisa e ciência. O processo de seleção varia um pouco de acordo com cada programa, mas de maneira geral é necessária uma série de documentações formais, como diploma de ensino superior, certificados de fluência em Inglês, portfólio, entre outros. No caso de Sarah, que é artista de Layout e animação 3D, bacharel pela UFMG em Cinema de Animação e Artes Digitais, o mestrado na qual foi contemplada como bolsista tem umas das vertentes de pesquisa a animação documental e seu projeto de pesquisa na Bélgica é sobre narrativa pessoal e histórica, especialmente de Brumadinho. Ela está em busca de capacitação técnica e conhecimento para cada vez melhor expressar a rica cultura do Brasil.

Ao todo, foram selecionadas 21 pessoas no mundo inteiro, sendo 18 bolsistas. Cada pesquisador selecionado, nos mais diversos programas, é uma conquista de todo o Brasil. “Nós iremos representar nosso país, nossa educação, cultura e ciência. No meu caso ainda, a educação pública brasileira, já que foi onde recebi minha formação desde a educação infantil até o ensino superior”, completa.

Sarah Aimê/Futura Mestranda

REGISTRAR NOSSO POVO

Eu trabalho como freelancer em projetos de séries animadas e com animação para publicidade e agora estou me voltando para trabalhar com uma produção mais autoral. Eu acredito que o bem mais precioso de uma vida são suas memórias e vivências e estou em busca de registrar aquelas do nosso povo. O Re:anima é uma bolsa de mestrado inédita e eu farei parte da primeira turma. No mundo é a única bolsa integral de pós-graduação em animação. O mestrado dura 2 anos e cada semestre será feito em um país diferente. Isso varia de conforme pesquisa e técnica necessária ao projeto.

Sarah Aimê/Futura Mestranda

Porém, existe um grande problema que está deixando Sarah apreensiva: a incerteza de conseguir viajar devido à Pandemia. Alunos do mundo inteiro, também preocupados com o prazo, iniciaram campanhas e abaixo-assinados em busca de soluções diplomáticas entre os países. Diante da situação de bloqueio, não só da Bélgica, mas de alguns outros países europeus para estudantes e pesquisadores brasileiros, alguns movimentos. No caso de Brasil e Bélgica, nosso grupo se movimenta nas redes sociais através do Instagram e do Twitter. Há outros movimentos de pesquisadores da França e Espanha na mesma situação de proibição de entrada nos países de destino. “Nós inicialmente criamos uma petição nacional (que de certa forma já deu resultados e o Itamaraty e diversos políticos brasileiros já estão buscando negociações). Esta internacional foi criada por estudantes que não conhecemos e chegou até nós através do Reddit, buscando a mesma abertura de diálogo entre os países. A União Europeia em si, considera estudos e trabalho como um motivo essencial de viagem e recomenda a emissão destes vistos e permissão de entrada de pessoas nesta situação. Contudo, cada país tem autonomia para estabelecer regras menos ou mais rígidas de controle sanitário e alguns, como a Bélgica, fecharam as fronteiras para caso de motivo essencial como o nosso”, menciona Sarah.

Na Bélgica, onde Sarah estudará, foram confirmados 1.098.332 casos de coronavírus até o momento, tendo 25.207 mortes. O país tem quase aproximadamente 11,5 milhões de pessoas, e segundo o Ministério da Saúde local, 40,1% dos belgas estão imunes ao vírus. Inclusive, lá, já teve início a vacinação de jovens de 16 e 17 anos contra a covid-19, utilizando o imunizante da BioNTch-Pfizer.

A Europa começou a exigir o Certificado Digital COVID para entrar em seus países. Este certificado poderá, por exemplo, ser emitido pelos centros de testagem ou autoridades de saúde ou, diretamente, através de um portal de saúde em linha. As autoridades sanitárias nacionais devem fornecer informações sobre a forma como pode obter o certificado. Com ele, a pessoa em passe livre para acessar qualquer país dentro da União Europeia. Para saber mais, clique aqui. 

A situação do Brasil ainda está longe de ser tranquila. Ao todo, o pais confirmou 19,2 milhões de casos de coronavírus, e chegou a 536 mil mortes. Em relação aos vacinados, 15% da população está totalmente imunizada. Tal situação fez com que a maioria dos países fechassem as portas para o Brasil, e é exatamente por isso que Sarah e tantos outros estudantes estão tendo dificuldades.

O início das aulas será em 13 de setembro de 2021. Considerando as medidas sanitárias, que provavelmente envolverão quarentena e outros detalhes, o embarque deve ser no máximo no final do mês de agosto. Por conta da COVID-19 no Brasil, a Bélgica está com as fronteiras fechadas para qualquer pessoa que tenha estado nos últimos 14 dias no Brasil, com exceções muito raras, que não incluem pesquisadores, estudantes ou pessoas com oferta de emprego. Por isso, a emissão de visto para estudantes está suspensa por tempo indeterminado para brasileiros. A estudante diz: “Nós entendemos a decisão do país em suspender viagens não essenciais, mas não concordamos que seja o caso viagens para estudo, principalmente porque teremos endereço fixo no país e cumpriremos todas as medidas sanitárias e quarentena obrigatória”.

Neste momento os critérios para determinar quais países são de alto risco não são transparentes. O Brasil não tem restrições de entrada à europeus, então o fechamento de fronteira não é baseado em reciprocidade. Alguns países, como a Índia, estiveram barrados até uma semana atrás e agora não estão mais. A solução parece ter realmente sido diplomática, já que os números da pandemia não melhoraram muito por lá.

Assim, foi criada uma petição onde pessoas do mundo todo assinam e, assim, conseguem “pressionar” as autoridades. A estudante diz que, no Brasil, as coisas estão se movimentando devagar, mas a repercussão das petições na internet chamou atenção de políticos e Diplomatas do Brasil. “Tivemos retornos de que eles estão começando algumas discussões diplomáticas com a Bélgica. A petição internacional é importante para chamar atenção agora de políticos e Diplomatas da Bélgica, para que nós consigamos aliados também lá que defendam ciência e educação como uma exceção essencial para viagens ao país e reabertura das fronteiras para esses casos”, finaliza.

Em uma corrente do bem, clique aqui para assinar e, assim, colaborar com uma brumadinhense na construção de seu futuro. Vamos ajudar nessa corrente que não somente a beneficiará, como também a inúmeras pessoas que precisam se locomover em busca de sucesso. É o nome de Brumadinho e do Brasil fazendo sucesso mundo afora.

Nós, do Portal da Cidade Brumadinho, desejamos imenso sucesso à Sarah e gostaríamos de dizer que ela já é motivo de orgulho para nós.

Para auxiliar Sarah e outros estudantes em demais petições, clique nos links abaixo:


* Por Talles Costa


Fonte:

Receba as notícias de Brumadinho no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário

Outras notícias

data-matched-content-ui-type="image_stacked" data-matched-content-rows-num="2" data-matched-content-columns-num="3">